19/05 – Dia nacional de doação de leite materno!

doaçãodeleite

Hoje dia 19/05 é comemorado dia nacional de doação de leite materno.

O leite materno é um alimento fundamental para o desenvolvimento da criança. Ele possui todos os nutrientes necessários, é rico em vitaminas, combate infecções, doenças e alergias. Amamentar também é um ato de amor, que aproxima mãe e filho.

Através da doação mais crianças têm acesso a este alimento completo, há uma diminuição da mortalidade infantil e também a conscientização das mamães que têm excesso de leite e podem ajudar outras crianças.

A mãe deve ordenhar seu leite e acondicionar corretamente ( ver informação a baixo)  e entrar em contato com os bancos de leite humano para fazer a doação. O banco de leite do instituto Fernandes Figueiras é referencia da América Latina e seu telefone de contato é 2554 1703.

Informações importante para a doação:

Quem pode ser doadora de leite humano?

Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.

De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de  apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Como doar?

Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano.

Como preparar o frasco para coletar o leite humano?

– Escolha um frasco de vidro com tampa plástica, pode ser de café solúvel ou maionese;
– Retire o rótulo e o papelão que fica sob a tampa e lave com água e sabão, enxaguando bem;
– Em seguida coloque em uma panela o vidro e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos (conte o tempo a partir do início da fervura);
– Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa para secar de boca para baixo em um pano limpo;
– Deixe escorrer a água do frasco e da tampa. Não enxugue;
– Você  poderá usar quando estiver seco.

Como se preparar para retirar o leite humano (ordenhar)?

O leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias.

Ao retirar o leite é importante que você siga algumas recomendações que fazem parte da garantia de qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:

1- Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
2- Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
3- Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;
4- Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa.

Como retirar o leite humano (ordenhar)?

Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas.

doação de leite 1

É ideal que o leite seja retirado de forma manual:

– Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama);
– Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;
– Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair;
– Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco.
Se você estiver com dificuldade de retirar seu leite, procure apoio no Banco de Leite Humano mais próximo de você. Acesse: http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=439

leite materno 2

Como guardar o leite retirado para doação?

O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador ou freezer.
Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e ao terminar acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador.

O leite pode ficar armazenado congelado por até 15 dias.

O leite humano doado, após passar por processo que envolve seleção, classificação e pasteurização, é distribuído com qualidade certificada aos bebês internados em unidades neonatais.

Para os bancos de Leite Humano é  extremamente importante a doação de leite materno, pois algumas mães infelizmente não podem amamentar.

Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas.

Anúncios

Por que é importante amamentar?

Por que é importante amamentar

O leite materno é o alimento mais completo que existe para o bebê. Nos primeiros seis meses, ele contém tudo que o bebê precisa, até mesmo água! Portanto, você não precisa dar chá, água, outros leites, mingaus ou suquinhos enquanto ele estiver mamando só no peito, o que traz também grande economia para a família.

O leite materno é fácil de digerir, não sobrecarrega o intestino e os rins do bebê.

É prático, não precisa ferver, misturar, coar, dissolver ou esfriar; está sempre pronto, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Protege o bebê contra muitas doenças, em especial diarreia, pneumonia, otites e outras infecções.

Diminui as possibilidades de surgirem problemas alérgicos, respiratórios e também de algumas doenças que costumam se manifestar mais tarde, tais como obesidade, pressão alta, colesterol alto e diabete.

Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face, ajudando a criança a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter boa respiração.

Diminui as chances de ocorrência do câncer de mama, de ovário e de diabete da mulher que amamenta.

Favorece a contração do útero materno após o parto, diminuindo as perdas sanguíneas e prevenindo a anemia.

Facilita a perda do peso que foi ganho na gravidez.

PSICOFISIOLOGIA DA LACTAÇÃO

PSICOFISIOLOGIA DA LACTAÇÃO

Como funciona o processo de produção, ejeção e manutenção do leite materno?

A lactação depende de múltiplos e complexos fatores psíquicos (psicológicos), neurais (sistema nervoso e neurônios) e endócrinos (secreção de hormônios pelas glândulas), os quais estão relacionados com a maturação fisiológica das glândulas mamárias, a secreção e ejeção do leite e a manutenção da lactação.

Durante a gravidez é secretada a prolactina, um hormônio que aumenta sua concentração sanguínea até o parto, quando alcança níveis altíssimos. Esse hormônio é responsável pela secreção do leite. Porém, durante a gestação esses hormônios são inibidos.

Ejeção do Leite

A secreção do leite é lenta e realizada no intervalo das mamadas. A estimulação das abundantes terminações nervosas do mamilo durante a sucção pelo bebê produz impulsos sensitivos somáticos que são conduzidos até o hipotálamo.

Fatores psíquicos também são responsáveis pelo reflexo da saída do leite. Estímulos sensitivos também são importantes; assim, o olhar, o ouvir, o tocar o bebê e a evocação das emoções causadas por pensar no bebê podem causar a ejeção do leite. O hipotálamo, além de estimular a produção de prolactina, estimula a liberação de ocitocina, responsável pela ejeção do leite. A ocitocina alcança a mama através da corrente sanguínea e produz a contração das células mioepiteliais dos alvéolos mamários, resultando na ejeção do leite para os ductos e seu fluxo pelo mamilo. Esse processo ocorre após cerca de um minuto desde que o bebê começa a sugar, porém nas mulheres primíparas (primeiro filho), leva de três a cinco minutos.

Dúvidas sobre pega e recusa do peito – Amamentação

amamentando_shutterstock

Por que o bebê não consegue manter a pega

Possíveis causas       

O que fazer
O bebê não consegue respirar enquanto mama O queixo é que deve ficar em contato com o peito e não o nariz
Posição errada do bebê Posicionar melhor a criança
Mãe está mexendo na mama ou no bebê de forma a tirar o mamilo da boca A mão da mãe pode posicionar melhor a cabeça do bebê
Fluxo do leite materno intenso Mamas muito cheias, mamadas  limitadas.

Caso haja muito fluxo de leite, ordenhar um pouco antes das mamadas.

Em ultimo caso  amamentarem um só peito e ordenhar o outro até que a criança consiga pega-lo.

Bebê que recusa um peito

Possíveis causas Como lidar
Diferença entre os mamilos ou o fluxo de leite de cada peito Avaliar possíveis diferenças do mamilo
Posição melhor em um dos seios Avaliar melhor posição de pega
Pega melhor a aréola de um peito do que o outro Observar a origem da dor (fissura)
Um dos peitos está mais cheio Oferecer o leite materno ordenhado na xicara e no copo até a correção
O bebê está sentindo dor ou desconforto quando segurado em determinada posição Em ultimo caso deixe-o mamar apenas em um. Só que o outro produzirá menos, pois não está sendo estimulado

Você sabia que pode doar o excedente do leite materno?

frasco-de-leite

Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do seu bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano(BLH). Através do BLH muitos bebês poderão ser amamentados principalmente os prematuros.

Você sabe quem pode doar ?

De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Onde doar?

Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano.
Clique http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=356 e veja o mais próximo de você.

Doe leite materno!

Endereços de bancos de leite humano:

Rio de Janeiro
Banco de Leite Humano
1 – Hospital Central do Exército
Banco de Leite Humano do Hospital Central do Exército
Rua Francisco Manuel, 126 , Triagem
Rio De Janeiro – CEP: 20911-270
Tel.: 21-3891-7364 – Fax: 21-3890-4874
xxxx@xxx.com
2 – Hospital dos Plantadores de Cana
Banco de Leite Humano do Hospital dos Plantadores de Cana
Avenida Dr. José Alves de Azevedo, 337 , Parque Rosário
Campos Dos Goytacazes – CEP: 28025-496
Tel.: 22-2737-7400
seban.hpc@gmail.com
3 – Hospital Estadual Adão Pereira Nunes
Banco de Leite Humano Nutricionista Gilsara do Bonfim Santos
Rodovia Washintgton Luiz, , BR 040 KM 109 , Jardim Primavera
Duque De Caxias – CEP: 25911-970
Tel.: 21-3675-0910
blh.heapn@heapnprosaude.org.br
4 – Hospital Estadual Rocha Faria
Banco de Leite Humano Maria Leonor Inocencio Soares
Avenida Cesário de Melo, 3.215 , Campo Grande
Rio De Janeiro – CEP: 23050-100
Tel.: 21-2333-6795 – Fax: 21-2333-6788
neorocha@ig.br
5 – Hospital Federal dos Servidores do Estado
Banco de Leite Humano do Hospital Federal dos Servidores do Estado
Rua Sacadura Cabral, 178 , 2º andar , Centro
Rio De Janeiro – CEP: 20221-161
Tel.: 21-2291-3131 – Fax: 21-2516-1539
tqpires@hotmail.com
6 – Hospital Maternidade Alexander Fleming
Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Alexander Fleming
Rua Jorge Schimidt, 331 , Marechal Hermes
Rio De Janeiro – CEP: 21610-645
Tel.: 21-3111-6241 – Fax: 21-2489-8329
seal.58@hotmail.com
7 – Hospital Maternidade Carmela Dutra
Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Carmela Dutra
Rua Aquidabã, 1.037 , Lins de Vasconcelos
Rio De Janeiro – CEP: 20720-292
Tel.: 21-3111-6625 – Fax: 21-3111-6763
hmatcdutra@rio.rj.gov.br
8 – Hospital Maternidade de Nova Friburgo
Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade de Nova Friburgo
Travessa Antônio Fernandes Moreira, 12 , Centro
Nova Friburgo – CEP: 28610-410
Tel.: 22-2522-9345 – Fax: 22-2522-9345
bancodeleitehmnf@hotmail.com
9 – Hospital Maternidade Fernando Magalhães
Banco de Leite Humano Zuleika Nunes de Alencar
Rua General José Cristino, 87 , São Cristóvão
Rio De Janeiro – CEP: 20921-400
Tel.: 21-3878-2327 – Fax: 21-2580-1132
hmfm.nutricao@gmail.com
10 – Hospital Maternidade Herculano Pinheiro
Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Herculano Pinheiro
Avenida Ministro Edgar Romero, 276 , Madureira
Rio De Janeiro – CEP: 20211-360
Tel.: 21-2458-8607 – Fax: 21-2458-8618
armada.monica@gmail.com
11 – Hospital Municipal Lourenço Jorge/Maternidade Leila Diniz
Banco de Leite Humano da Maternidade Leila Diniz
Av. Ayrton Senna, 2.000 , Barra da Tijuca
Rio De Janeiro – CEP: 22793-000
Tel.: 21-3111-4930
ana-pasm@hotmail.com
12 – Hospital São João Batista
Banco de Leite Humano do Hospital São João Batista
Rua Nossa Senhora das Graças, 235 , Colina
Volta Redonda – CEP: 27253-610
Tel.: 0800-2820092 / 24-3339-4242 – Fax: 24-3342-4030
sah@hsjb.org.br
13 – Hospital Unimed Petrópolis
Banco de Leite Humano do Hospital Unimed Petropólis
Rua dos Expedicionários, 144 , Bingen
Petropolis – CEP: 25660-290
Tel.: 24-2291-9700 – Fax: 24-2246-0566
bancodeleite@unimedpetropolis.com.br
14 – Hospital Universitário Antonio Pedro
Banco de Leite Humano Profa. Heloísa Helena Laxe de Paula
Rua Marques de Paraná, 303 , Centro
Niteroi – CEP: 24033-900
Tel.: 21-2629-9234
bancodeleite@huap.uff.br
15 – Hospital Universitário Pedro Ernesto
Banco de Leite Humano do Núcleo Perinatal
Rua Manuel de Abreu, 500 , 3 andar , Vila Isabel
Rio De Janeiro – CEP: 20550-170
Tel.: 21-2868-8208 – Fax: 21-8688-4511
abilenegouvea@uol.com.br
BLH referência para o estado
16 – Instituto Nac. de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolesc. Fernandes Figueira
Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
Av. Rui Barbosa, 716 , Térreo , Flamengo
Rio De Janeiro – CEP: 22250-020
Tel.: 0800-0268877 / 21-2554-1703
franz@fiocruz.br
17 – Maternidade Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Banco de Leite Humano da Maternidade Escola da UFRJ
Rua das Laranjeiras, 180 , Laranjeiras
Rio De Janeiro – CEP: 22240-001
Tel.: 21-2285-7935 – Fax: 21-2205-9064
vaniatrinta@globo.com
Posto de Coleta
1 – Banco de Leite Humano do Hospital Central do Exército
PCLH HCE
Rua Francisco Manuel, 126 , Triagem
Rio De Janeiro – CEP: 20911-270
Tel.: 21-3891-7364
blhhce@hotmail.com
2 – Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
Posto de Coleta de Leite Humano de Teresópolis
Avenida Lúcio Meira, 1.130 , 2º andar , Várzea
Teresopolis – CEP: 25953-009
Tel.: 21-2742-8674 – Fax: 21-2742-8674
pclhtere@gmail.com
3 – Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
PCLH – Maternidade Maria Amélia Buargue de Holanda
Rua Moncorvo Filho, , Centro
Rio De Janeiro – CEP: 20211-340
Tel.: 21-2252-3416
carla-navarrete@osisas.org.br
4 – Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
PCLH do BNDES
Av. República do Chile, 100 , Centro
Rio De Janeiro – CEP: 20031-170
Tel.: 21-3479-5900 – Fax: 21-2262-6338
5 – Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
PCLH – Clínica Perinatal Laranjeiras
Rua das Laranjeiras, 445 , Laranjeiras
Rio De Janeiro – CEP: 22240-002
Tel.: 21-2102-2369
lactario.laranjeiras@perinatal.com.br

Semana do Aleitamento Materno

– Para nós da Doula Consultoria, amamentar não é somente uma forma de alimentar o bebê com nutrientes (vitaminas e minerais), mas também é o primeiro passo para o vínculo afetivo entre mãe e bebê. Quanto mais próximos mãe e filho, mais forte esse vínculo será .

Doula Consultoria

 – O que é a Semana do Aleitamento Materno?

Nos dias 1 a 7/08 acontece a Semana Mundial de Aleitamento Materno – SMAM. Essa semana faz parte de uma história mundial focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança. Sua criação surgiu em 1948 pela OMS.

A Semana Mundial é considerada como veículo para promoção da amamentação. Ocorre em 120 Países e, oficialmente, é celebrada de 1 a 7 de agosto. A WABA define, a cada ano, o tema a ser trabalhado na Semana, lançando materiais que são traduzidos em 14 idiomas. Entretanto, a data e o tema podem ser adaptados em cada País a fim de que seja obtido mais e melhores resultados do evento.

No Brasil, o Ministério da Saúde coordena a Semana Mundial de Aleitamento Materno desde 1999. Sendo responsável pela adaptação do tema para o nosso País e elaboração e distribuição de cartaz e folder. Tem o apoio de Organismos Internacionais, Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, Hospitais Amigos da Criança, Sociedades de Classe e ONGs.

2014 23ª SMAM
Waba: Breastfeeding: A Winning Goal For Life!
Brasil: Aleitamento Materno: uma vitória para toda a vida!

amamentação

– O que acontece quando a mulher amamenta?

A sucção continuada do bebê e a tranquilidade da mãe são fatores importantes para a descida do leite. Para que o bebê consiga mamar é necessário que ele abocanhe grande parte da aréola e não somente o bico. O fato da mãe e o bebê se entre olharem, o estimulo sensorial do mamilo vão auxiliar a mamada, mas a dor, ansiedade  e duvidas podem dificultar a amamentação.

Sem título

– Você sabe quais são as reais vantagens do aleitamento para a mãe e bebê ?

Para o Bebê:

Alimento completo.

Proteção contra infecções e alergias.

Sempre pronto e na temperatura certa.

Amor e carinho.

Bom para a dentição e a fala.

Para a mãe:

Aumenta os laço afetivo.

Dar o peito logo que o bebê nasce, diminui o sangramento da mãe após o parto.

Faz o útero voltar mais rápido ao normal.

Diminui o risco de câncer de mama e ovários.

É econômico e prático. Não precisa ser comprado.

 Sem título1

 – Como fazer para amamentar?

  • Como posso preparar minha mama para amamentar?

O uso de cremes, pomadas ,buchas  e toalhas são totalmente contra indicados pelo Ministério da Saúde ,pois essas estratégias podem fazer com que as mamas fiquem mais sensíveis. A melhor estratégia é pegar sol ou colocar  uma lâmpada de 40 wtts em torno de 10 cm próximo a mama por 15 minutos de cada lado. Não se esqueça de usar sutiã com alças largas e sem bojo para acomodar a mama e evitar desconforto e dor.

Espremer o peito durante a gestação e estimular a mama para provocar a saída de alguma secreção ou leite não é indicado ,pois pode estimular a produção de oxitocina ( hormônio ligado a saída do leite e contração uterina).

Avaliar se o bico fica saliente não tem importância para a amamentação. Ter o bico do peito invertido ou plano não importa, pois o que faz com que saia o leite não é o bico mas sim a pega do bebê corretamente (abocanhando parte da aréola e com o lábio inferior para fora ,”tipo peixinho”).Segundo algumas mulheres a concha coletora ( concha de amamentação)  pode auxiliar durante a gestação.

A pega correta:

Pega é a pega do bebê ao peito.Ela é muito importante ,pois feita de forma errada pode causar dor,fissura e rachar inclusive o seio materno,portanto  a técnica adequada para a mamentar o bebê é muito importante e simples também.Veja o passo a passo

  • Lavar a mama com água ( sem sabão) e enxugar.
  • Massagear o peito antes do bebê abocanhar o seio. Se  o peito estiver muito cheio antes de amamentar, massagear e espremer a região da aréola para tirar um pouco de leite ( isso ajuda o bebê mamar).
  • A mãe deve ficar em posição confortável, com as costas o mais confortável possível, de preferencia recostar-se. Deve colocar um travesseiro ou almofada  no colo ,o mais proximo do umbigo.
  • Colocar o bebê com a barriga encostada com a dela e o mais pertinho possível e trazer o bebê para a direção do seio
  • Encostar o bico do peito na boca do bebê, para ele virar a cabeça e pegar o peito( o peito vai até o bebê e não o bebê ao peito..
  • Segurar o peito com o polegar da mãe acima da aréola e o indicador e a palma da mão abaixo ( parece um C). (isso facilita a pega)
  • O bebê deve abocanhar a maior parte da aréola, pois tem menor chance de ter rachadura e a boca do bebê estimula a saída do leite ,pelo fato de massagear a região areolar. A mãe deve ouvir o ritmo cadenciado de sucção, deglutição e pausa. Em cada mamada oferecer ambos os seios.
  • Para retirar o seio da boca do bebê,a mãe pode colocar o dedo mínimo no cantinho da boca do bebê é retirar o bico.é sempre bom que a mão da mãe esteja limpa para evitar candidíase ( sapinho) na boquinha do bebê.

Sem título2

– Posições para amamentar

Sem título3

Sem título4

Obs.: Sempre observe se a pega do bebê está correta independente da posição. Observe se o seu braço não escorregou ou pode escorregar na posição que você escolheu, para evitar a pega errada.

– TIPOS DE LEITES:

Colostro: é o primeiro leite. É mais espesso, é rico em anticorpos e tem uma quantidade menor no início que vai aumentando de acordo com o número de vezes que o bebê suga. Pode já estar presente no final da gestação. Esse leite é a primeira vacina do bebê e, por sua característica especial, ajuda o bebê a eliminar o mecônio – que é o cocô que o bebê faz nos primeiros dias de vida, diminuindo também a chance da icterícia (o bebê que fica amarelinho). O colostro dura, em média, 5 dias.

Leite de Transição: entre o colostro e o leite maduro. Entre o 5º e 10º dia de vida do bebê. É quando o leite começa a mudar suas características pois o bebê está crescendo.

Leite maduro: leite que, normalmente está presente após o 10º dia de vida, com características bastante próprias. É dividido em leite anterior – quando o bebê inicia a mamada, e é rico especialmente em água, além de todos os outros componentes que o bebê precisa, e o leite posterior – que é o leite do final da mamada, mais rico em gorduras e que proporciona um ganho de peso melhor para o bebê. Daí a importância do bebê mamar as duas mamas em todas as mamadas, assim, ele vai saciar a sede com o leite anterior e engordar com o leite posterior, além de receber os anticorpos e os outros componentes tão importantes ao crescimento e desenvolvimento do seu bebê.

– Nossas clientes amamentando

10572778_699620473418982_1715088717_n Tatiana Speranza

O que fazer quando o peito racha ou fica machucado?

O maior fator que pode ter causado a rachadura é a pega errada do bebê. A primeira coisa a ser feito é corrigir a pega. A segunda coisa seria cuidar da mama. As  ações nesse caso deve ser: colocar o próprio leite sobre o bico, tomar sol ou usar a lâmpada. No caso de dor alguns casos pode –se usar a concha de amamentação para evitar contato  direto com o sutiã.

– Como faço para  retirar e armazenar o meu leite?

Como  o leite materno é um alimento puro e pode ser facilmente contaminado devemos ter muito cuidado antes de retira-lo e armazena-lo.

Portanto :

1) Preparar um vidro com tampa e ferver por 15 minutos;

2) Escolher um lugar limpo e tranquilo é importante para evitar  contaminação além de promover o bem estar da mãe e com isso facilitar a saída do leite. ;

3)Prender os cabelos ou usar  um lenço amarrado na cabeça é  importante afim de evitar que algum fio de cabelo caia sobre o leite e contamine –o.

4) Proteger a boca e o nariz com um pano ou fralda também é importante ,pois a própria saliva materna ou espirro podem contaminar todo leite que está sendo retirado;

5)Lavar a mama com água e seca-la, depois massagear o peito com a ponta de dois dedos, iniciando na região mais próxima da aréola indo até a mais distante do peito, apoiando o peito com a outra mão. Massageie por mais tempo as áreas mais doloridas

6) Apoiar a ponta dos dedos (polegar e indicador) acima e abaixo da aréola, comprimindo o peito contra o tórax ;

7) Comprimir com movimentos rítmicos, como se tentasse aproximar as pontas dos dedos, sem deslizar na pele;

8) Desprezar os primeiros jatos e guardar o restante no recipiente.

Atenção!

  • O leite ordenhado pode ser refrigerado com segurança por até 12horas ou congelado por até 15 dias.
  • Antes de alimentar o bebê com o leite guardado, aqueça em banho-maria mas não deixe ferver.
  • Ofereça o leite ao bebê com colher, copo ou xícara e lembre sempre de jogar fora o que sobrou.

– Direitos das mulheres trabalhadoras que amamentam

GESTANTE: pela Constituição Federal, fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa (ou seja, há estabilidade no emprego) da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

CRECHE OU BERÇÁRIO: os estabelecimentos em que trabalham pelo menos 30 mulheres com mais de 16 anos de idade deverão ter local apropriado onde seja permitido às empregadas deixar, sob vigilância e assistência, os seus filhos durante a amamentação. Ficam as empresas e empregadores autorizados a adotar o sistema de reembolso-creche, em substituição à exigência de creche no local de trabalho.

A exigência também pode ser suprida por meio de creches distritais mantidas por convênios com a empresa, ou com outras entidades públicas e privadas, ou a cargo do SESI, SESC e entidades sindicais. 7PAUSAS PARA AMAMENTAR: para amamentar

o filho, a mulher tem o direito de, atté os seis meses de idade do filho, a dois descansos especiais, de meia hora cada um, durante a jornada de trabalho, que não se confundirão com os intervalos normais para repouso e alimentação.

Quando a saúde do filho exigir, o período de 6 meses poderá ser aumentado, a critério do médico.

LICENÇA MATERNIDADE: a Constituição de 1988 garante para todas as mulheres trabalhadoras sob o regime CLT o direito a 120 dias de licença.

– Quem tem direito à licença maternidade de 6 meses?

A Lei 11.770, publicada em 9 de setembro de 2008, mediante concessão de incentivo fiscal, estimula as empresas a ampliarem a licença maternidade das suas trabalhadoras para 6 meses. Essa lei se tornou muito importante no País, pois vem ao encontro da

recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde de “aleitamento materno exclusivo por 6 meses”.

Muitos estados e municípios já estão concedendo essa licença às suas funcionárias.

Procure saber se a sua empresa ou o seu município já aderiu à licença maternidade de 6 meses.

Outros…

PERÍODO DA LICENÇA: em casos excepcionais, os períodos de licença antes e depois do parto poderão ser aumentados em mais duas semanas cada um, mediante apresentação de atestado médico.

LICENÇA PATERNIDADE: todos os pais trabalhadores têm direito a cinco dias de licença a contar do dia do nascimento do filho. Para algumas categorias esta licença é maior – procure se informar!

Fique atenta a seus direitos:

Números de algumas Leis Trabalhistas:

X CLT artigo 389 seção IV / Portaria 3296, de 03/09/86, artigo 1° – CRECHE OU

REEMBOLSO- CRECHE

X CLT artigo 396, seção V – PAUSAS PARA AMAMENTAR DURANTE A

JORNADA

X CLT capítulo II artigo 7ª, XIX – LICENÇA PATERNIDADE

X CLT capítulo II, Artigo 7°, XVII – SALÁRIO MATERNIDADE INTEGRAL

X CLT artigo 392, seção V – LICENÇA MATERNIDADE

X CLT artigo 392 seção V – PRORROGAÇÃO POR DUAS SEMANAS DA LICENÇA

MATERNIDADE

X CLT artigo 391 seção V – ESTABILIDADE PARA A GESTANTE

X Lei 11.770/08 – ESTABELECE 2 MESES OPCIONAIS A MAIS DE LICENÇA

MATERNIDADE

X Lei 6202/1979 – DIREITOS DA MÃE ESTUDANTE

X Lei de Execuções Penais no artigo 82 § 2º e artigo 89, e o artigo 9º do Estatuto da

Criança e do Adolescente – DIREITOS DAS MÃES PRIVADAS DE LIBERDADE

X Art. 210. DIREITO DA servidora que adotar.