Os 15 passos para escolher uma creche!

creche

Quantas dúvidas e perguntas surgem ao ter que escolher uma creche. Pensando nisso que separamos algumas sugestões para que possamos ajudar nesse momento tão importante para a família. Confira!

1- Pesquise as creches e escolas que combinam com o seu perfil, com o tipo de método que você gosta, a filosofia, tipos de eventos oferecidos, quais profissionais que você gostaria que tivesse lá para lhe atender e principalmente estar disponível para seu filho(a) quando ele(a) precisar. Faça um resumo do que você acha importante ter em uma creche e que combine com seu estilo de educação e o que você acredita para seu filho(a).

2-Consulte se as creches que você se identificou são legalizadas. Os documentos são: Alvará de funcionamento, CNPJ, Inscrição da Secretaria de Educação, Licença do Corpo de Bombeiros, certidões da Receita Federal, ISS, FGTS. Procure também na internet em sites oficiais. Peça para verificar também a Proposta Pedagógica da escola, leia, questione e tire suas dúvidas.

3- Indicações também são boas opções, mas cuidado pois o que é bom para seu amigo(a) pode não ser o que você procura ou prioriza. Mas vale a pena a dica.

4- Escolas e creches que agendam visitas devem ser questionadas, afinal para que agendar? O melhor é chegar sem hora marcada para avaliar e verificar exatamente como é o dia a dia e funcionamento da creche. Questione também quando a creche demorar muito para fazer a visita, pois é um indicativo de que estão arrumando algo, ou dando um “jeitinho” no local. As creches e escolas devem estar sempre prontas e apresentáveis as pessoas que desejam visitá-la.

5- Ao chegar no local escolha por onde começar a visita, com isso você evita que um roteiro seja seguido e com isso algo que estava errado (ou acontece errado ou contrário ao que você julga certo) seja camuflado.

6- Um dica SUPER importante: avalie e verifique TUDO o que possa oferecer perigo ao seu filho(a) e questione o por quê daquilo. Exemplo: escadas sem portão, quinas sem proteção, janelas sem redes, brinquedos pontudos, brinquedos quebrados, objetos pontiagudos em local de trânsito intenso, tomadas sem proteção, cozinha com livre acesso para a criança, pias com quinas, assento sanitário muito alto, degraus com quinas sem proteção, pisos escorregadios, etc.

7- Observe e avalie a luminosidade, ventilação, limpeza e higienização de cada local. Peça para visitar a cozinha e observe como os alimentos são preparados, como a cozinheira está vestida e a limpeza da cozinha. É muito importante saber que seu filho(a) estará em um ambiente limpo e arejado.

8- Observe também se as salas possuem ar condicionado (muito importante no Rio de Janeiro), se tem filtro ou bebedouro dentro ou próximo para estimular e facilitar a hidratação do seu filho(a) durante o dia.

9- Observe se os ambientes tem fácil acesso uns ao outros, por exemplo, a criança precisa subir ou descer escadas para ir ao banheiro? Isso dificulta a criança a ter acesso fácil e rápido e também torna-se perigoso.

10- Observe os espaços de cada sala, a quantidade de crianças por turma assim como o número de professores e auxiliares para cada faixa etária. ( De acordo com o MEC  – Parâmetros de Qualidade para a Educação Infantil a relação entre o número de crianças por agrupamento ou turma e o número de professores de Educação infantil varia de acordo com a faixa etária: 1 professora para cada 6 a 8 alunos de 0 a 2 anos / 1 professora para cada 15 crianças de 3 anos / 1 professora para cada 20 crianças acima de 4 anos) Cada creche ou escola organiza a quantidade de profissionais em turma de acordo com o bom senso, tamanho do espaço disponível, orçamento e etc. Pergunte e questione sempre.

11- A creche e escola precisa ser estruturada e com uma boa equipe de profissionais para oferecer um atendimento completo e eficaz para seu filho(a). Observe e pergunte se a eles possuem: nutricionista (com CRN), psicóloga, pedagoga, algumas possuem pediatra diariamente ou 3x por semana, professores graduados, auxiliares TREINADOS, berçaristas TREINADAS, etc.

12- Verifique se a creche ou escola oferece constantemente cursos, palestras, treinamentos e reciclagem para seus profissionais, principalmente para auxiliares e berçaristas que ficam a maior parte do tempo com as crianças.

13- Pergunte se existe algum estímulo oferecido aos funcionários, se eles estão sempre sorridente e dispostos.

14- No momento da visita peça para conhecer a equipe de profissionais, converse com a coordenadora, psicóloga, nutricionista, pergunte e tire suas dúvidas!

15- Verifique se a instituição faz parte de orgãos como: ASBREI (Associação Brasileira de Educação Infantil), SINEPE (Sindicato dos estabelecimentos de ensino no estado do RJ), SAAE (Sindicato dos auxiliares de administração escolar do estado do RJ), SEPE (Sindicato estadual dos profissionais de educação do RJ).

Anúncios

Receitinhas Doula: Festa de crianças com intolerância a lactose e alergia ao leite de vaca

receitafestas

Receitinhas para festa de crianças com intolerância a lactose e alergia ao leite de vaca

Brigadeiro de grão de bico

Ingredientes
100g de grao de bico cozido
200g de coco ralado
200g chocolate granulado meio amaro sem lactose
Melado, açúcar mascavo, tâmaras, uvas passas ou damascos secos para adoçar

Modo de fazer:
Processe o grão de bico até virar uma pasta, com parte do adoçante escolhido
Misture com os outros ingredientes
Processe mais uma vez
Faça pequenas bolinhas
Misture chocolate granulado com o coco ralado e o adoçante escolhido
Passe as bolinhas nessa mistura
#dica: deixe o grão de bico de molho, despreze água e troque por duas vezes. Assim, o
Só use adoçante se a criança for diabética caso contrario utilize açúcar demerara ou mascavo

Bolinho de grão de bico com quinoa

Ingredientes:
3 colheres de sopa de grão de bico cozido
1 1/2 colher de farinha de quinoa ( Cozinhe a quinoa. Coloque para secar no forno preaquecido ou torre. Processe.)
1 colher cacau em pó ou alfarroba
3 colheres de leite de coco ou leite de amêndoas  ou suco de laranja ou limão

Modo de fazer:
Misture os ingredientes e processe em liquidificador ou processador
Coloque em forminhas de silicone
Leve ao forno preaquecido
Asse por cerca de 20 minutos

Receitas para OS “SEM APETITE”

Se sua filha ou filho está naquela fase “não come”, “não quer comer” (apenas os salgados), tente essas:

Bolinhos de inhame

Cozinhe, descasque e amasse ligeiramente os inhames com um pouco de cebola ralada, cebolinha verde picadinha ou alho-porró em fatias fininhas, umas pitadas de orégano  e outras de sal. Junte farinha de trigo  ou fécula de batata para dar liga.Pincele com gema de ovo e asse no forno pré-aquecido.

Bolinho de arroz cozido

Ingredientes
2 xícaras (chá) de arroz cozido
1 colher (sopa) de cebola picada
2 colheres (sopa) salsinha ou coentro
4 colheres de óleo de canola ou de coco
1 xícara (chá) de farinha de trigo integral ou fécula de batata
1 pitada de sal

Modo de fazer:
Misture todos os ingredientes até formar uma pasta. Enrole os bolinhos, unte uma forma e asse em forno médio por 30 minutos.

Bolinho de mandioca

Cozinhe a mandioca até ficar macia
Amasse com garfo ou espremedor de batatas
Tempere com orégano (pouco), ou salsinha ou nirá bem picadinhos, sal e óleo  (1 colher pra dar liga)

Modo de fazer:
Forme os bolinhos com as mãos, unte o fundo da fôrma com óleo, e coloque os bolinhos
Leve ao forno quente até dourar.

Churros falso

Modo de fazer:
Pegue algumas bananas, corte ao meio, mergulhe em calda de chocolate ou alfarroba
Depois, passe em chocolate granulado, raspas de castanhas ou outro ingrediente interessante
Coloque na geladeira
Após cerca de meia hora, retire da geladeira.
Abra um buraco no centro, retirando a polpa
Coloque o recheio
Utilize um saco de confeitar para preencher o espaço com o creme escolhido

Receitinha Doula: Sugestão de receita para crianças de 3 a 6 anos

kibeinhame

Quibe de Inhame

 

Ingredientes:
½ xícara de trigo para quibe
6 inhames pequenos em cubos
½ cebola média picada
Manjericão e hortelã a gosto
1 tomate pequeno em rodelas
Sal à gosto
Margarina para untar

Modo de preparo:
Deixe o trigo de molho em água por 2 horas, escorra bem a água e reserve. Cozinhe os inhames e depois esprema-os com um garfo. Misture o trigo, a pasta de inhame, a cebola, o manjericão, a hortelã e tempere a gosto. Coloque em uma assadeira untada com margarina e decore com as rodelas de tomate. Leve ao forno médio por aproximadamente 20 minutos.

Rendimento: 4 porções

Panqueca de beterraba com recheio de legumes


Ingredientes da massa:

½ xícara (chá) beterraba ralada
½  xícara (chá) de farinha de trigo integral
1 ovo

½  xícara de leite
1 colher (café) sal à gosto

Ingredientes do recheio:
½  cenoura cozida
¼ maço de brócolis cozido

2 colheres de sobremesa de cream cheese
¼  cebola picada
orégano

Ingredientes do molho:
1 colher de sopa de óleo de soja
½ xícara de cebola picada
1 sache de molho de tomate (340g)
1 colher de chá de sal
ricota para polvilhar

Modo de preparo da massa:
Descasque e rale a beterraba. Coloque no liquidificador a farinha de trigo, os ovos, o leite e sal a gosto. Coloque a massa na frigideira com auxílio de uma concha e frite. Acrescente o recheio de sua preferência.

Modo de preparo do recheio:
Misture todos os ingredientes. Recheie as panquecas e enrole.

Modo de preparo do molho:
Em uma panela, esquente o óleo de soja, adicionando a cebola para refogar. Acrescente o molho de tomate e os temperos e deixe ferver, mexendo de vez em quando. Desligue e distribua sobre as panquecas.

Rendimento: 4 panquecas

Saiba a importância do potássio para a gestante.

potassiogestante

O potássio é um mineral importante para a gestante, pois tem duas funções básicas.

A primeira é que o excesso de sódio pode provocar edema nas gestantes, além de elevar a pressão, logo o consumo de alimentos fontes de potássio podem ajudar a regular a pressão. Arterial. Outra questão é que na gravidez é muito comum as mulheres terem câimbras devido à má circulação sanguínea. O consumo de alimentos fonte de potássio auxilia bastante causando alivio.

Exemplo de alimentos fonte: abacate, ameixa, abacaxi, laranja pera, banana, mamão, maracujá, melão, tamarino. Acelga, aipo, batatas, beterraba, brócolis, chicória, água de coco, ervilha, espinafre, grão de bico, mandioca, milho, rabanete e bertalha.

Fique por dentro dessas 5 dicas sobre orientação nutricional para gestantes com gravidez de peso excessivo

obessa

Muitas mulheres engravidam acima do peso e poucas sabem que o excesso de peso durante a gravidez é perigoso tanto para a mãe (Pré-eclâmpsia, Eclampsia, Diabetes Gestacional etc..) quanto para o bebê (baixo peso ao nascer),mas caso aconteça de ter engravidado acima do peso , é importante saber que uma gravida NUNCA deve fazer dieta para emagrecimento nesse período. É necessário que a gravida ganhe peso nesse período, pois tanto o corpo da mãe quanto o próprio bebê estão sendo preparados para o nascimento.

É importante que a gestante procure um nutricionista para fazer o acompanhamento durante a gestação, algumas doenças podem ser detectadas nesse período e quanto mais cedo forem descobertas melhor para a mãe e o bebê.

Veja então 5 orientações importante para as gestantes com ganho de peso excessivo durante a gravidez:

1-Aumente o fracionamento das refeições, com menos volume (quantidade) e fracionamento aumentado (3 em 3 horas).

2-Restrinja consumo de óleo e azeite em saladas. Prefira adicionar o vinagre e ervas nos temperos.

3-Evite o consumo de alimentos fritos e gordurosos, além de alimentos de calorias vazias (balas, chicletes, chocolates, refrigerantes).

4- Evite o consumo de alimentos ricos em sal (sódio) o excesso desses alimentos podem provocar edema e aumento da pressão arterial, o que é muito prejudicial nesse período.

5-Busque auxilio de uma nutricionista e faça uma lista do que você costuma comer normalmente e seja sincera ao colocar na lista tudo o que você costuma comer, mesmo que sejam alimentos muito calóricos (chocolates, excesso de pães, doces etc…).

Exemplo de cardapio de café da manhã:

Opção 1:
200ml de salada de frutas
1 colher de sopa de granola
2 colheres de iogurte natural

Opção 2:
1 xicara de Cereal matinal integral sem açúcar
1 copo de 180ml de iogurte natural de mel com cenoura
6 bagos de uvas

Receita Doula 002 – Papa de frango com brocolis e cenoura

receita 002

Ingredientes:

½ xicara  de  filé de frango cortado em  cubos

1 arvorezinha de brócolis

¼ de cenoura media

½ de batata baroa médio

1 colher de chá de alho sem filete ralado

1 colher de sobremesa de cebola ralada

1 colher de café de sa

2 colheres  de chá de óleo

1 colher de sobremesa de salsinha e cebolinha

Preparo: Corte todos os ingredientes em pedaços bem pequenos. O frango deve ser cortado do lado contrário de suas fibras. Em uma panela de pressão, refogue o frango com óleo, cebola e alho. Em seguida, junte os demais ingredientes e deixe cozinhar em fogo baixo, até que o frango fique bem macio (desfiando facilmente). Amasse com um garfo até formar uma massa. Substituições: A cenoura pode ser substituída por abóbora e o brócolis por espinafre. Procure oferecer a criança cada ingrediente separadamente.

Quais os riscos associados à alimentação complementar?

riscos alimentacao complementar

O período de alimentação complementar caracteriza-se pela maior prevalência de doenças diarreicas, pois nesse período o bebê deixa de receber uma alimentação nutricional e microbiologicamente adequada (leite materno) para receber um tipo de alimentação que pode ser insuficiente, contaminada e alergizante (papas). O risco de diarreia em crianças de 4 a 6 meses é de 2 a 13 vezes maior do que estivessem sendo amamentadas exclusivamente no peito.

A contaminação microbiana de alimentos é a principal causa de diarreia na infância.

A utilização de mamadeiras aumenta o risco de infecção, pois é um importante foco de contaminação microbiana. Medidas importantes devem ser feitas como:

A utilização de água para o consumo das crianças deve ser filtrada.

As frutas, verduras e legumes escolhidas para refeições dos bebês devem ser higienizadas corretamente (1 litro de água para medida de solução clorada própria para alimentos por 10 minutos).

As papas devem ser preparadas o mais próximo de servir, caso sobre, não devem ser guardadas.

O congelamento de papas não é adequado, pois alguns nutrientes são perdidos.

PSICOFISIOLOGIA DA LACTAÇÃO

PSICOFISIOLOGIA DA LACTAÇÃO

Como funciona o processo de produção, ejeção e manutenção do leite materno?

A lactação depende de múltiplos e complexos fatores psíquicos (psicológicos), neurais (sistema nervoso e neurônios) e endócrinos (secreção de hormônios pelas glândulas), os quais estão relacionados com a maturação fisiológica das glândulas mamárias, a secreção e ejeção do leite e a manutenção da lactação.

Durante a gravidez é secretada a prolactina, um hormônio que aumenta sua concentração sanguínea até o parto, quando alcança níveis altíssimos. Esse hormônio é responsável pela secreção do leite. Porém, durante a gestação esses hormônios são inibidos.

Ejeção do Leite

A secreção do leite é lenta e realizada no intervalo das mamadas. A estimulação das abundantes terminações nervosas do mamilo durante a sucção pelo bebê produz impulsos sensitivos somáticos que são conduzidos até o hipotálamo.

Fatores psíquicos também são responsáveis pelo reflexo da saída do leite. Estímulos sensitivos também são importantes; assim, o olhar, o ouvir, o tocar o bebê e a evocação das emoções causadas por pensar no bebê podem causar a ejeção do leite. O hipotálamo, além de estimular a produção de prolactina, estimula a liberação de ocitocina, responsável pela ejeção do leite. A ocitocina alcança a mama através da corrente sanguínea e produz a contração das células mioepiteliais dos alvéolos mamários, resultando na ejeção do leite para os ductos e seu fluxo pelo mamilo. Esse processo ocorre após cerca de um minuto desde que o bebê começa a sugar, porém nas mulheres primíparas (primeiro filho), leva de três a cinco minutos.

Qual a importância da alimentação complementar?

Qual a importância da alimentação complementar

A alimentação infantil é chamada de alimentação complementar quando ela passa a ser oferecida, paralelamente à oferta de leite (materno ou fórmula infantil), até a oferta de todos os grupos alimentares. Essa fase começa em torno dos seis meses (em alguns casos em torno de 4 meses devido a licença materna estar acabando) e se estende em torno do primeiro ano de vida. Essa idade foi eleita porque com ela há uma maturidade gastrointestinal que favorece a oferta de alimentos, capacidade da criança deglutir sólidos e uma insuficiência da alimentação láctea.

Para que a alimentação complementar seja bem sucedida é necessário que ela tenha 4 funções:

Oportuna: Significando que os alimentos são introduzidos quando as necessidades de energia da criança são superiores ou fornecidos pelo leite materno.

Adequada: Os alimentos devem fornecer quantidades adequadas de energia, sais minerais e vitaminas.

Segura: Os alimentos devem ser armazenados, preparados e oferecidos de forma higiênica, além de não serem utilizadas mamadeiras e chupetas.

Oferecidas em formas adequadas: Os alimentos devem ser oferecidos respeitando os sinais de fome e saciedade e adotando-se uma atitude ativa na oferta dos alimentos.

O que é método “Mãe Canguru”?

1244739135045_f

O Método Mãe Canguru, tem sido proposto como uma alternativa ao cuidado neonatal convencional para bebês de baixo peso ao nascer.

Foi criado e batizado por dois médicos  colombianos  devido à maneira pela qual as mães carregavam seus bebês após o nascimento, de forma semelhante aos cangurus.

O objetivo do método era dar alta precoce para recém-nascidos de baixo peso frente a uma situação crítica de falta de incubadoras, infecções, ausência de recursos, desmame precoce, altas taxas de mortalidade neonatal e abandono materno.

Nasceu então o “Método Canguru”. Esse método implica no contato pele-a-pele precoce entre a mãe e o bebê de baixo peso, o tempo vai depender de quanto for prazeroso e suficiente em relação a saúde do bebê. Esse método  permite maior participação dos pais no cuidado ao bebê  e com certeza isso auxilia no processo de melhora do bebê.

A posição canguru consiste em manter o recém-nascido de baixo peso ligeiramente vestido, na posição vertical, contra o peito do pai ou da mãe. É importante salientar que o método canguru deve ser orientado por profissionais da área de saúde treinados e também por escolha dos pais.