Os 15 passos para escolher uma creche!

creche

Quantas dúvidas e perguntas surgem ao ter que escolher uma creche. Pensando nisso que separamos algumas sugestões para que possamos ajudar nesse momento tão importante para a família. Confira!

1- Pesquise as creches e escolas que combinam com o seu perfil, com o tipo de método que você gosta, a filosofia, tipos de eventos oferecidos, quais profissionais que você gostaria que tivesse lá para lhe atender e principalmente estar disponível para seu filho(a) quando ele(a) precisar. Faça um resumo do que você acha importante ter em uma creche e que combine com seu estilo de educação e o que você acredita para seu filho(a).

2-Consulte se as creches que você se identificou são legalizadas. Os documentos são: Alvará de funcionamento, CNPJ, Inscrição da Secretaria de Educação, Licença do Corpo de Bombeiros, certidões da Receita Federal, ISS, FGTS. Procure também na internet em sites oficiais. Peça para verificar também a Proposta Pedagógica da escola, leia, questione e tire suas dúvidas.

3- Indicações também são boas opções, mas cuidado pois o que é bom para seu amigo(a) pode não ser o que você procura ou prioriza. Mas vale a pena a dica.

4- Escolas e creches que agendam visitas devem ser questionadas, afinal para que agendar? O melhor é chegar sem hora marcada para avaliar e verificar exatamente como é o dia a dia e funcionamento da creche. Questione também quando a creche demorar muito para fazer a visita, pois é um indicativo de que estão arrumando algo, ou dando um “jeitinho” no local. As creches e escolas devem estar sempre prontas e apresentáveis as pessoas que desejam visitá-la.

5- Ao chegar no local escolha por onde começar a visita, com isso você evita que um roteiro seja seguido e com isso algo que estava errado (ou acontece errado ou contrário ao que você julga certo) seja camuflado.

6- Um dica SUPER importante: avalie e verifique TUDO o que possa oferecer perigo ao seu filho(a) e questione o por quê daquilo. Exemplo: escadas sem portão, quinas sem proteção, janelas sem redes, brinquedos pontudos, brinquedos quebrados, objetos pontiagudos em local de trânsito intenso, tomadas sem proteção, cozinha com livre acesso para a criança, pias com quinas, assento sanitário muito alto, degraus com quinas sem proteção, pisos escorregadios, etc.

7- Observe e avalie a luminosidade, ventilação, limpeza e higienização de cada local. Peça para visitar a cozinha e observe como os alimentos são preparados, como a cozinheira está vestida e a limpeza da cozinha. É muito importante saber que seu filho(a) estará em um ambiente limpo e arejado.

8- Observe também se as salas possuem ar condicionado (muito importante no Rio de Janeiro), se tem filtro ou bebedouro dentro ou próximo para estimular e facilitar a hidratação do seu filho(a) durante o dia.

9- Observe se os ambientes tem fácil acesso uns ao outros, por exemplo, a criança precisa subir ou descer escadas para ir ao banheiro? Isso dificulta a criança a ter acesso fácil e rápido e também torna-se perigoso.

10- Observe os espaços de cada sala, a quantidade de crianças por turma assim como o número de professores e auxiliares para cada faixa etária. ( De acordo com o MEC  – Parâmetros de Qualidade para a Educação Infantil a relação entre o número de crianças por agrupamento ou turma e o número de professores de Educação infantil varia de acordo com a faixa etária: 1 professora para cada 6 a 8 alunos de 0 a 2 anos / 1 professora para cada 15 crianças de 3 anos / 1 professora para cada 20 crianças acima de 4 anos) Cada creche ou escola organiza a quantidade de profissionais em turma de acordo com o bom senso, tamanho do espaço disponível, orçamento e etc. Pergunte e questione sempre.

11- A creche e escola precisa ser estruturada e com uma boa equipe de profissionais para oferecer um atendimento completo e eficaz para seu filho(a). Observe e pergunte se a eles possuem: nutricionista (com CRN), psicóloga, pedagoga, algumas possuem pediatra diariamente ou 3x por semana, professores graduados, auxiliares TREINADOS, berçaristas TREINADAS, etc.

12- Verifique se a creche ou escola oferece constantemente cursos, palestras, treinamentos e reciclagem para seus profissionais, principalmente para auxiliares e berçaristas que ficam a maior parte do tempo com as crianças.

13- Pergunte se existe algum estímulo oferecido aos funcionários, se eles estão sempre sorridente e dispostos.

14- No momento da visita peça para conhecer a equipe de profissionais, converse com a coordenadora, psicóloga, nutricionista, pergunte e tire suas dúvidas!

15- Verifique se a instituição faz parte de orgãos como: ASBREI (Associação Brasileira de Educação Infantil), SINEPE (Sindicato dos estabelecimentos de ensino no estado do RJ), SAAE (Sindicato dos auxiliares de administração escolar do estado do RJ), SEPE (Sindicato estadual dos profissionais de educação do RJ).

Quando posso dar peixe para meu filho?

quando posso dar peixe

A Organização Mundial de Saúde recomenda que os bebês sejam amamentados exclusivamente até o sexto mês. Só após esse período, as nutricionistas e os pediatras indicam a introdução de alimentos sólidos, como frutas e papas salgadas. E o peixe pode fazer parte do cardápio do seu bebê já nessa fase.

Os benefícios desse alimento são muitos. Estudos mostram que os ácidos graxos ômega-3 (gordura poliinsaturada), encontrados principalmente no salmão e na sardinha, são importantes para o desenvolvimento do sistema nervoso central e da retina e na prevenção de doenças crônicas, como obesidade e hipertensão.

No caso de alergias é importante saber se os pais têm alergia, além disso a oferta a criança deve ser feita aos poucos. Isso porque, caso a criança apresente alguma reação, fica mais fácil identificar o que causou o problema. Com relação às espinhas, o ideal é escolher os peixes que têm poucas ou que não as tenham, como cação, linguado ou badejo. Se não for possível, deve-se retirá-las com cuidado e atenção, e sempre checar mais uma vez antes de oferecer ao bebê.

O principal cuidado, no entanto, vem antes de o peixe estar no prato da família – na hora da compra! Dê preferência para o pescado fresco, mais fácil de verificar a qualidade por meio do odor, textura e coloração. Observe se a carne está firme, brilhante e escorregadia; se os olhos estão brilhantes e protuberantes; e as brânquias úmidas e brilhantes, entre a cor de rosa e vermelho intenso. O peixe também deve estar conservado em meio a camadas de gelo.

Para quem prefere o peixe congelado ou congela o peixe fresco, é preciso atenção ao descongelar. Jamais o faça em temperatura ambiente, porque não é uniforme e pode gerar perda de qualidade, umidade e permitir o crescimento de micróbios. A recomendação é descongelar o pescado na geladeira, a 4 °C. E lembre-se: nunca congele novamente o peixe que foi descongelado. Após ter sido preparado, o alimento pode ser conservado na geladeira por até 24 horas.


Papa de peixe

Ingredientes
– 1 colher (sopa) de lentilha crua
– 400ml de água
– 35g de peixe ( pescada OU linguado)
– 1/3 de batata média descascada e picada
– 1 ½ colher (sopa) de cenoura descascada e picada
– 2 folhas de couve picadas
– ½ dente de alho picado
– 1 colher (café) de salsinha picada
– 1 colher (café) de azeite

O peixe, é uma boa fonte de ômega 3 e deve estar presente na rotina alimentar do bebê

Modo de preparo
Deixe a lentilha de molho de um dia para o outro em água. Dispense a água.Em uma panela de pressão, coloque as lentilhas e 400ml de água e leve para cozinhar. Quando pegar pressão, aguarde mais 20 minutos. Retire a pressão, abra a panela e adicione o peixe, a batata, a cenoura, a couve e o alho. Feche novamente a panela e volte para o fogo. Cozinhe na pressão por mais 20 minutos. Ao final do cozimento, adicione a salsinha picada, deixe no fogo por mais 1 minuto. Caso ainda tenha água na panela, deixe cozinhando até que essa evapore (não descarte água, pois ela contém muitos nutrientes importantes).

É importante que os ingredientes cozinhem até ficarem bem amolecidos, fáceis de amassar com o garfo.

Transfira o conteúdo da panela para um recipiente. Amasse bem os vegetais e desfie muito bem o peixe, tome cuidado e fique atenta pare retirar todos os espinhos do peixe. É importante que não fiquem pedaços dos alimentos, lembre-se que este é um dos primeiros contatos do bebê com alimentos diferentes do leite; a gengiva já realiza um processo parecido com a mastigação, mas a ausência de dentes não permite alimentos duros ou em pedaços.

Rendimento: 1 porção. Cada porção corresponde a 2/3 de xícara de chá da papinha.

Valor calórico por porção: 192 kcal.

Por que é importante amamentar?

Por que é importante amamentar

O leite materno é o alimento mais completo que existe para o bebê. Nos primeiros seis meses, ele contém tudo que o bebê precisa, até mesmo água! Portanto, você não precisa dar chá, água, outros leites, mingaus ou suquinhos enquanto ele estiver mamando só no peito, o que traz também grande economia para a família.

O leite materno é fácil de digerir, não sobrecarrega o intestino e os rins do bebê.

É prático, não precisa ferver, misturar, coar, dissolver ou esfriar; está sempre pronto, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Protege o bebê contra muitas doenças, em especial diarreia, pneumonia, otites e outras infecções.

Diminui as possibilidades de surgirem problemas alérgicos, respiratórios e também de algumas doenças que costumam se manifestar mais tarde, tais como obesidade, pressão alta, colesterol alto e diabete.

Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face, ajudando a criança a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter boa respiração.

Diminui as chances de ocorrência do câncer de mama, de ovário e de diabete da mulher que amamenta.

Favorece a contração do útero materno após o parto, diminuindo as perdas sanguíneas e prevenindo a anemia.

Facilita a perda do peso que foi ganho na gravidez.

Higiene bucal para bebês

higienebucalparabebes

Como a maioria dos bebês não nascem com os dentes expostos na boca é comum achar que não é necessária a higienização da boca. Mas isso é um mito! Desde o nascimento do bebê é preciso fazer a higienização da sua boca.

Bebês recém nascidos: a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa removendo todos os resíduos de leite, inclusive da língua (tomando todo o cuidado para não gerar ânsia ao bebê).

Por volta dos 06 meses de idade, os primeiros dentinhos começam a nascer, e é nesse momento que pode-se começar o uso de uma dedeira, que deve ser usada na gengiva e em todos os dentinhos presentes, fazendo movimentos suaves e limpando-os.

A partir do primeiro ano de vida, já pode ser usada a escova dental (que deve ser macia, com cabeça pequena) com creme dental sem flúor. Fazendo movimentos circulares nos dentes para que sejam removidos com eficácia os resíduos alimentares.

Quando a criança já aprende a cuspir (por voltar dos 2 anos de idade), já pode ser usado um creme dental com flúor.

Assim como para adultos, a higienização bucal deve ser feita todas as vezes após a alimentação e antes de dormir.

É de fundamental importância a higienização dos dentes decíduos (dentes de leite), pois os mesmos contribuem para o bom nascimento e crescimento dos dentes permanentes e menores riscos de cárie dentária.

Segundo Cruz et al. (2004), “a magnitude e severidade da cárie dentária em dentes decíduos constituem-se ainda em um grave problema de saúde e necessita receber atenção especial.”

Os pais devem introduzir a escovação dos dentes dos filhos desde cedo, para que eles se acostumem com o hábito de escovar os dentes. É importante a interação entre pai e filho, fazendo brincadeiras nesse momento, para que isso seja algo agradável a criança.

Fonte: CRUZ et al. Percepção materna sobre a higiene bucal dos bebês: um estudo no Hospital Alcides Carneiro, Campina Grande-PB. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, v. 4, n. 3, p. 185-189, set-dez. 2004.

dentista

O uso de chupetas para bebês

usodechupeta

Hoje em dia é muito comum os pais do bebê atribuírem a chupeta ao bebê quando ele começa a chorar, para acalmá-lo, ou mesmo para entretê-lo. Porém, a chupeta pode trazer diversos malefícios à saúde bucal do bebê.

Efeitos que a chupeta pode causar ao bebê:

– Cáries de alimentação em crianças são mais comuns com o uso de chupetas.

– De acordo com Soares et al. (2003), “a criança que usa chupeta corre um risco maior de não receber os benefícios aleitamento materno durante os primeiros seis meses”.

– O uso de chupetas leva a alteração das arcadas dentárias, provocando mordidas cruzadas, mordidas abertas, alterando todo um padrão genético de crescimento e desenvolvimento.

– Maior incidência de otite média aguda e recorrente.

– Pode gerar prejuízos respiratórios, como expiração prolongada, reduzindo a saturação de oxigênio e a frequência respiratória.

– Maiores riscos de doenças como candidíase oral e verminoses, devido à dificuldade em manter a chupeta limpa adequadamente.

Dessa forma, é muito importante que os pais saibam sobre os malefícios causados pelo uso da chupeta para que possam tomar uma decisão ciente quanto a oferecê-la ou não aos seus filhos.

SOARES et al. Uso de chupeta e sua relação com o desmame precoce em população de crianças nascidas em Hospital Amigo da Criança. Jornal de Pediatria. Vol. 79, n. 4, 2003.

dentista

O desenvolvimento da linguagem e a alimentação da criança

linguagemealimentacao A criança, de acordo com Piaget, nasce com potencial biológico e a capacidade de aprender, porém o seu desenvolvimento depende da exposição e dos estímulos do meio externo.

A linguagem não é inata, ela é adquirida através da integração da criança com o meio, e por assimilações dos modelos fornecidos por este. Portanto a estimulação através de músicas, conversas corretas deve iniciar cedo.

Nos primeiros dias de vida do bebê as deglutições, choro, sucção e riso indiferenciado, são as primeiras manifestações de linguagem.

Por volta de um mês, começam a surgir diferentes entonações no choro e gradativamente esse choro, passa a ser um reflexo voluntário.

É extremamente necessária a amamentação no seio materno, pois a criança nasce com a mandíbula, maxila, lábios e língua ainda em desenvolvimento, e a amamentação no seio irá propiciar a estimulação destas estruturas, possibilitando futuramente a instalação dos fonemas, dos dentes e uma mastigação adequada com  maior aceitabilidade dos alimentos. Aos dois meses a criança já começa a perceber que toda vez que ela fizer uma determinada expressão, ela terá alguma resposta dos pais, sendo que o choro passa a ter diferentes significados.

Com três a quatro meses o bebê já está prestando atenção no que escuta no ambiente, e vai tentar repetir ou imitar o que escutou. Inicia à reagir às emoções das frases que ouve, e Começa a aparecer sons que pertencem à própria Língua. Nesta fase inicia se as papinhas de frutas amassadas e raspadas e legumes proporcionando a estimulação dos dentes, língua, lábios e véu palatino, preparando toda a musculatura para o início dos balbucios, que são sons sem significado, porém uma forma da criança perceber auditivamente e sinestesicamente os sons e brincar com eles.

É importante que a criança ao sair do seio materno não utilize mamadeiras, pois na fase do desmame, aproximadamente aos seis meses, o bebê poderá tomar o leite no copo, vitaminas e mingaus na colher. O uso de mamadeira deixa a musculatura orofacial hipotônica, sem força muscular adequada para uma boa mastigação e como conseqüência alterações na fala.

A criança começa a usar palavras frase, por volta de um ano, uma palavra significando uma frase, conseguindo dar significado para as palavras. O bebê já se alimenta com alimentos mais sólidos, semelhante á alimentação de um adulto. Aos três anos Surge a 1ª gramática infantil, na qual é a interiorização da linguagem e onde se tem um aumento no vocabulário para se comunicar. Nesta etapa todos os fonemas da língua com exceção dor vibrante deverão estar instalados. Aos cinco anos a fala de vê ser inteligível, uma seqüência de fatos ordenada, tendo a produção de todos os sons da língua. É necessário não oferecer na fase de dois a cinco anos alimentos pastosos, líquidos e sim alimentos mais durinhos, como maçã, carne, biscoitos para que a musculatura esteja forte e adequada para a produção correta dos fonemas.

parceria doula

Doula Consultoria e CineMaterna

cinematernabotafogo

No dia 29 de janeiro a Doula Consultira teve o prazer de marcar presença na sessão de cinema no Espaço Itaú de Cinema – Praia de Botafogo em parceria com o CineMaterna presenteando as mamães com alguns brindes. Fotos do evento: Iris Batista.

Fique por dentro: Alimento que possuem ferro.

alimentosferro

O ferro é um micronutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese de células vermelhas do sangue (hemácias) e no transporte do oxigênio no organismo.

Há dois tipos de ferro nos alimentos: ferro heme (origem animal, sendo mais bem absorvido) e ferro não heme (encontrado nos vegetais).

São alimentos fontes de ferro heme: carnes vermelhas, principalmente vísceras (fígado e miúdos), carnes de aves, suínos, peixes e mariscos.

São alimentos fontes de ferro não heme: hortaliças folhosas verde-escuras e leguminosas, como o feijão e a lentilha.

Como o ferro não heme possui baixa biodisponibilidade, recomenda-se a ingestão na mesma refeição de alimentos que melhoram a absorção desse tipo de ferro, por exemplo, os ricos em vitamina C, disponível em frutas cítricas (como: laranja, acerola, limão e caju), os ricos em vitamina A, disponível em frutas (como: mamão e manga) e as hortaliças (como: abóbora e cenoura).

Atenção: Fique por dentro dos riscos que o excesso de sódio para crianças e bebês!

excessosodio

Alguns alimentos “aparentemente” inofensivos, são comumente oferecido pelas mães aos bebês, mas muitos possuem uma quantidade de sódio que pode causar vários malefícios aos bebês. O sódio em excesso, complica o trabalho dos rins, que não vão conseguir eliminá-lo. Ele vai provocar a retenção de água e aumenta a pressão arterial, causando, com o tempo, problemas cardiovasculares e renais. Hoje muitas crianças já apresentam as consequências do consumo excessivo do sódio através de alguns alimentos. Por dia uma criança de 1 a 3 anos deve consumir 1000mg de sódio por dia. Portanto segue uma lista com alguns alimentos ricos em sódio.

Macarrão instantâneo com tempero 2721mg (85g).

Macarrão instantâneo sem tempero 1198mg (85g).

Hamburguer bovino 567mg 80gr.

Salsicha 551mg 50mg.

Biscoito de polvilho 270mg 30gr.

Biscoito cream craker 230mg 30gr.

Salgadinho de milho 176,9 mg 25gr.

Saiba a importância do potássio para a gestante.

potassiogestante

O potássio é um mineral importante para a gestante, pois tem duas funções básicas.

A primeira é que o excesso de sódio pode provocar edema nas gestantes, além de elevar a pressão, logo o consumo de alimentos fontes de potássio podem ajudar a regular a pressão. Arterial. Outra questão é que na gravidez é muito comum as mulheres terem câimbras devido à má circulação sanguínea. O consumo de alimentos fonte de potássio auxilia bastante causando alivio.

Exemplo de alimentos fonte: abacate, ameixa, abacaxi, laranja pera, banana, mamão, maracujá, melão, tamarino. Acelga, aipo, batatas, beterraba, brócolis, chicória, água de coco, ervilha, espinafre, grão de bico, mandioca, milho, rabanete e bertalha.