19/05 – Dia nacional de doação de leite materno!

doaçãodeleite

Hoje dia 19/05 é comemorado dia nacional de doação de leite materno.

O leite materno é um alimento fundamental para o desenvolvimento da criança. Ele possui todos os nutrientes necessários, é rico em vitaminas, combate infecções, doenças e alergias. Amamentar também é um ato de amor, que aproxima mãe e filho.

Através da doação mais crianças têm acesso a este alimento completo, há uma diminuição da mortalidade infantil e também a conscientização das mamães que têm excesso de leite e podem ajudar outras crianças.

A mãe deve ordenhar seu leite e acondicionar corretamente ( ver informação a baixo)  e entrar em contato com os bancos de leite humano para fazer a doação. O banco de leite do instituto Fernandes Figueiras é referencia da América Latina e seu telefone de contato é 2554 1703.

Informações importante para a doação:

Quem pode ser doadora de leite humano?

Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.

De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de  apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Como doar?

Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano.

Como preparar o frasco para coletar o leite humano?

– Escolha um frasco de vidro com tampa plástica, pode ser de café solúvel ou maionese;
– Retire o rótulo e o papelão que fica sob a tampa e lave com água e sabão, enxaguando bem;
– Em seguida coloque em uma panela o vidro e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos (conte o tempo a partir do início da fervura);
– Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa para secar de boca para baixo em um pano limpo;
– Deixe escorrer a água do frasco e da tampa. Não enxugue;
– Você  poderá usar quando estiver seco.

Como se preparar para retirar o leite humano (ordenhar)?

O leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias.

Ao retirar o leite é importante que você siga algumas recomendações que fazem parte da garantia de qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:

1- Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
2- Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
3- Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;
4- Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa.

Como retirar o leite humano (ordenhar)?

Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas.

doação de leite 1

É ideal que o leite seja retirado de forma manual:

– Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama);
– Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;
– Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair;
– Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco.
Se você estiver com dificuldade de retirar seu leite, procure apoio no Banco de Leite Humano mais próximo de você. Acesse: http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=439

leite materno 2

Como guardar o leite retirado para doação?

O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador ou freezer.
Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e ao terminar acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador.

O leite pode ficar armazenado congelado por até 15 dias.

O leite humano doado, após passar por processo que envolve seleção, classificação e pasteurização, é distribuído com qualidade certificada aos bebês internados em unidades neonatais.

Para os bancos de Leite Humano é  extremamente importante a doação de leite materno, pois algumas mães infelizmente não podem amamentar.

Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas.

Quando posso dar peixe para meu filho?

quando posso dar peixe

A Organização Mundial de Saúde recomenda que os bebês sejam amamentados exclusivamente até o sexto mês. Só após esse período, as nutricionistas e os pediatras indicam a introdução de alimentos sólidos, como frutas e papas salgadas. E o peixe pode fazer parte do cardápio do seu bebê já nessa fase.

Os benefícios desse alimento são muitos. Estudos mostram que os ácidos graxos ômega-3 (gordura poliinsaturada), encontrados principalmente no salmão e na sardinha, são importantes para o desenvolvimento do sistema nervoso central e da retina e na prevenção de doenças crônicas, como obesidade e hipertensão.

No caso de alergias é importante saber se os pais têm alergia, além disso a oferta a criança deve ser feita aos poucos. Isso porque, caso a criança apresente alguma reação, fica mais fácil identificar o que causou o problema. Com relação às espinhas, o ideal é escolher os peixes que têm poucas ou que não as tenham, como cação, linguado ou badejo. Se não for possível, deve-se retirá-las com cuidado e atenção, e sempre checar mais uma vez antes de oferecer ao bebê.

O principal cuidado, no entanto, vem antes de o peixe estar no prato da família – na hora da compra! Dê preferência para o pescado fresco, mais fácil de verificar a qualidade por meio do odor, textura e coloração. Observe se a carne está firme, brilhante e escorregadia; se os olhos estão brilhantes e protuberantes; e as brânquias úmidas e brilhantes, entre a cor de rosa e vermelho intenso. O peixe também deve estar conservado em meio a camadas de gelo.

Para quem prefere o peixe congelado ou congela o peixe fresco, é preciso atenção ao descongelar. Jamais o faça em temperatura ambiente, porque não é uniforme e pode gerar perda de qualidade, umidade e permitir o crescimento de micróbios. A recomendação é descongelar o pescado na geladeira, a 4 °C. E lembre-se: nunca congele novamente o peixe que foi descongelado. Após ter sido preparado, o alimento pode ser conservado na geladeira por até 24 horas.


Papa de peixe

Ingredientes
– 1 colher (sopa) de lentilha crua
– 400ml de água
– 35g de peixe ( pescada OU linguado)
– 1/3 de batata média descascada e picada
– 1 ½ colher (sopa) de cenoura descascada e picada
– 2 folhas de couve picadas
– ½ dente de alho picado
– 1 colher (café) de salsinha picada
– 1 colher (café) de azeite

O peixe, é uma boa fonte de ômega 3 e deve estar presente na rotina alimentar do bebê

Modo de preparo
Deixe a lentilha de molho de um dia para o outro em água. Dispense a água.Em uma panela de pressão, coloque as lentilhas e 400ml de água e leve para cozinhar. Quando pegar pressão, aguarde mais 20 minutos. Retire a pressão, abra a panela e adicione o peixe, a batata, a cenoura, a couve e o alho. Feche novamente a panela e volte para o fogo. Cozinhe na pressão por mais 20 minutos. Ao final do cozimento, adicione a salsinha picada, deixe no fogo por mais 1 minuto. Caso ainda tenha água na panela, deixe cozinhando até que essa evapore (não descarte água, pois ela contém muitos nutrientes importantes).

É importante que os ingredientes cozinhem até ficarem bem amolecidos, fáceis de amassar com o garfo.

Transfira o conteúdo da panela para um recipiente. Amasse bem os vegetais e desfie muito bem o peixe, tome cuidado e fique atenta pare retirar todos os espinhos do peixe. É importante que não fiquem pedaços dos alimentos, lembre-se que este é um dos primeiros contatos do bebê com alimentos diferentes do leite; a gengiva já realiza um processo parecido com a mastigação, mas a ausência de dentes não permite alimentos duros ou em pedaços.

Rendimento: 1 porção. Cada porção corresponde a 2/3 de xícara de chá da papinha.

Valor calórico por porção: 192 kcal.

Você sabe como deve ser elaborado o cardápio do seu filho na creche?

cardapiocreche

O cardápio escolar, sob responsabilidade dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, deve ser elaborado por nutricionista habilitado, com acompanhamento do CAE e ser programado de modo a suprir:

I – no mínimo 30% (trinta por cento) das necessidades nutricionais, distribuídas em, no mínimo, duas refeições para as creches em período parcial;

II – no mínimo 70% (setenta por cento) das necessidades nutricionais, distribuídas em, no mínimo, três refeições para as creches em período integral, inclusive as localizadas em comunidades indígenas ou áreas remanescentes de quilombos;

III – no mínimo 30% (trinta por cento) das necessidades nutricionais diárias, por refeição ofertada, para os alunos matriculados nas escolas localizadas em comunidades indígenas ou em áreas remanescentes de quilombos, exceto creches;

IV – no mínimo 20% (vinte por cento) das necessidades nutricionais diárias, quando ofertada uma refeição, para os demais alunos matriculados na educação básica em período parcial;

V – no mínimo 30% (trinta por cento) das necessidades nutricionais diárias, quando ofertadas duas ou mais refeições, para os alunos matriculados na educação básica, exceto creches em período parcial;

VI – no mínimo 70% (setenta por cento) das necessidades nutricionais, distribuídas em, no mínimo três refeições, para os alunos participantes do Programa Mais Educação e para os matriculados em escolas de tempo integral.

Sempre que houver a inclusão de um novo produto no cardápio, é indispensável a aplicação de testes de aceitabilidade. A aquisição dos gêneros alimentícios para o cumprimento do cardápio é de responsabilidade dos estados e municípios, e devem obedecer a todos os critérios estabelecidos na Lei nº 8.666, de 21/06/93, e suas alterações, que tratam de licitações e contratos na administração pública.

No caso dos 30% do valor repassado pelo FNDE destinados a produtos da agricultura familiar, o processo licitatório pode ser dispensado, desde que os preços estejam compatíveis com os praticados no mercado local e os alimentos atendam a exigências de controle de qualidade e seja utilizada a chamada pública.

Fonte:CRECHE http://www.rebrae.com.br/alimentacao.html

Por que é importante amamentar?

Por que é importante amamentar

O leite materno é o alimento mais completo que existe para o bebê. Nos primeiros seis meses, ele contém tudo que o bebê precisa, até mesmo água! Portanto, você não precisa dar chá, água, outros leites, mingaus ou suquinhos enquanto ele estiver mamando só no peito, o que traz também grande economia para a família.

O leite materno é fácil de digerir, não sobrecarrega o intestino e os rins do bebê.

É prático, não precisa ferver, misturar, coar, dissolver ou esfriar; está sempre pronto, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Protege o bebê contra muitas doenças, em especial diarreia, pneumonia, otites e outras infecções.

Diminui as possibilidades de surgirem problemas alérgicos, respiratórios e também de algumas doenças que costumam se manifestar mais tarde, tais como obesidade, pressão alta, colesterol alto e diabete.

Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face, ajudando a criança a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter boa respiração.

Diminui as chances de ocorrência do câncer de mama, de ovário e de diabete da mulher que amamenta.

Favorece a contração do útero materno após o parto, diminuindo as perdas sanguíneas e prevenindo a anemia.

Facilita a perda do peso que foi ganho na gravidez.

O desenvolvimento da linguagem e a alimentação da criança

linguagemealimentacao A criança, de acordo com Piaget, nasce com potencial biológico e a capacidade de aprender, porém o seu desenvolvimento depende da exposição e dos estímulos do meio externo.

A linguagem não é inata, ela é adquirida através da integração da criança com o meio, e por assimilações dos modelos fornecidos por este. Portanto a estimulação através de músicas, conversas corretas deve iniciar cedo.

Nos primeiros dias de vida do bebê as deglutições, choro, sucção e riso indiferenciado, são as primeiras manifestações de linguagem.

Por volta de um mês, começam a surgir diferentes entonações no choro e gradativamente esse choro, passa a ser um reflexo voluntário.

É extremamente necessária a amamentação no seio materno, pois a criança nasce com a mandíbula, maxila, lábios e língua ainda em desenvolvimento, e a amamentação no seio irá propiciar a estimulação destas estruturas, possibilitando futuramente a instalação dos fonemas, dos dentes e uma mastigação adequada com  maior aceitabilidade dos alimentos. Aos dois meses a criança já começa a perceber que toda vez que ela fizer uma determinada expressão, ela terá alguma resposta dos pais, sendo que o choro passa a ter diferentes significados.

Com três a quatro meses o bebê já está prestando atenção no que escuta no ambiente, e vai tentar repetir ou imitar o que escutou. Inicia à reagir às emoções das frases que ouve, e Começa a aparecer sons que pertencem à própria Língua. Nesta fase inicia se as papinhas de frutas amassadas e raspadas e legumes proporcionando a estimulação dos dentes, língua, lábios e véu palatino, preparando toda a musculatura para o início dos balbucios, que são sons sem significado, porém uma forma da criança perceber auditivamente e sinestesicamente os sons e brincar com eles.

É importante que a criança ao sair do seio materno não utilize mamadeiras, pois na fase do desmame, aproximadamente aos seis meses, o bebê poderá tomar o leite no copo, vitaminas e mingaus na colher. O uso de mamadeira deixa a musculatura orofacial hipotônica, sem força muscular adequada para uma boa mastigação e como conseqüência alterações na fala.

A criança começa a usar palavras frase, por volta de um ano, uma palavra significando uma frase, conseguindo dar significado para as palavras. O bebê já se alimenta com alimentos mais sólidos, semelhante á alimentação de um adulto. Aos três anos Surge a 1ª gramática infantil, na qual é a interiorização da linguagem e onde se tem um aumento no vocabulário para se comunicar. Nesta etapa todos os fonemas da língua com exceção dor vibrante deverão estar instalados. Aos cinco anos a fala de vê ser inteligível, uma seqüência de fatos ordenada, tendo a produção de todos os sons da língua. É necessário não oferecer na fase de dois a cinco anos alimentos pastosos, líquidos e sim alimentos mais durinhos, como maçã, carne, biscoitos para que a musculatura esteja forte e adequada para a produção correta dos fonemas.

parceria doula

Gorduras essenciais para os bebês!

gorduraessenciais

As gorduras insaturadas são benéficas para a saúde do bebê. Alimentos fontes de w5,6 e 9 são excelentes para o cérebro ,pois o ômega 3 age na formação da bainha de mielina, um componente dos neurônios. Assim, ocorre a melhora do desempenho cognitivo, da atividade cerebral e comunicação entre as células do cérebro. O ácido graxo também conta com efeito vasodilatador e por isso ocorre o aumento do aporte de oxigênio e nutrientes.

Pesquisas apontaram a melhora do desenvolvimento escolar em crianças e adolescentes devido ao consumo dos alimentos ricos em w3.

Alimentos ricos em w3: peixes (atum, sardinha, salmão) e linhaça, abacate, chia. No caso dos bebês podemos oferecer a partir do 7 meses.

Temperos que podemos utilizar para preparar as papas dos bebês.

temperopapinhas Os temperos naturais podem e devem ser utilizados para as preparações das papas dos bebês. Devemos priorizar as ervas e codimentos naturais nas preparações evitando sempre de usar sal (somente após 1 ano), temperos prontos e extratos de tomate
.
Temperos e codimentos liberados: cebola, alho, salsinha, cebolinha, salsão, orégano, caldos caseiros, azeite e oliva.

Fique por dentro: Alimento que possuem ferro.

alimentosferro

O ferro é um micronutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese de células vermelhas do sangue (hemácias) e no transporte do oxigênio no organismo.

Há dois tipos de ferro nos alimentos: ferro heme (origem animal, sendo mais bem absorvido) e ferro não heme (encontrado nos vegetais).

São alimentos fontes de ferro heme: carnes vermelhas, principalmente vísceras (fígado e miúdos), carnes de aves, suínos, peixes e mariscos.

São alimentos fontes de ferro não heme: hortaliças folhosas verde-escuras e leguminosas, como o feijão e a lentilha.

Como o ferro não heme possui baixa biodisponibilidade, recomenda-se a ingestão na mesma refeição de alimentos que melhoram a absorção desse tipo de ferro, por exemplo, os ricos em vitamina C, disponível em frutas cítricas (como: laranja, acerola, limão e caju), os ricos em vitamina A, disponível em frutas (como: mamão e manga) e as hortaliças (como: abóbora e cenoura).

Saiba a importância do potássio para a gestante.

potassiogestante

O potássio é um mineral importante para a gestante, pois tem duas funções básicas.

A primeira é que o excesso de sódio pode provocar edema nas gestantes, além de elevar a pressão, logo o consumo de alimentos fontes de potássio podem ajudar a regular a pressão. Arterial. Outra questão é que na gravidez é muito comum as mulheres terem câimbras devido à má circulação sanguínea. O consumo de alimentos fonte de potássio auxilia bastante causando alivio.

Exemplo de alimentos fonte: abacate, ameixa, abacaxi, laranja pera, banana, mamão, maracujá, melão, tamarino. Acelga, aipo, batatas, beterraba, brócolis, chicória, água de coco, ervilha, espinafre, grão de bico, mandioca, milho, rabanete e bertalha.

Consumo de peixes para os bebês (com uma super receita).

consumo de peixes

O cardápio dos bebês já pode conter a partir dos 7 meses o peixe, mas as mães precisam ficar de olho se ocorre alguma reação, além disso temos que ter cuidado com alguns devido a contaminação de e, linguado, salmão, sardinha, pescada, salmão, truta, atum e bacalhau (fonte: FDA). Os peixes possuem alta digestibilidade o que auxilia na digestão dos bebês. Possuem também em alguns casos peixes (salmão, sardinha, atum) ricos em w3, (tipo de gordura) que auxilia nas questões cerebrais e previne doenças do coração.

SEGUE RECEITA:

PAPA DE PEIXE, BATATA DOCE, BROCOLIS E GENGIBRE
1 BATATA DOCE PEQUENA (30GR)
1 FLORETE DE BROCOLIS
2 RODELAS DE GEMGIBRE
1 FILÉ DE LINGUADO O UPESCADA 90GR
CALDO DE LEGUMES CASEIRO.PARA COZINHAR

MODO DE FAZER:

Cozinhe juntos a batata doce e o brócolis com caldo de legumes. Numa panela a parte cozinhe o filé com outra parte do caldo e o gengibre.
Retire o peixe e os legumes e descarte o gengibre, amasse tudo com o garfo e sirva com um fio de azeite.